Ex-presidente paraguaio sem dinheiro para resgate da filha

Um juiz negou o pedido feito pelo ex-presidente paraguaio, Raúl Cubas, para a suspensão do embargo de seus bens. Cubas queria dispor de seu patrimônio congelado como garantia de empréstimos contraídos para pagar o resgate de sua filha Cecilia, seqüestrada. Cubas goza de liberdade para tratamento médico, mas continua réu de um caso de malversação do dinheiro público. A soma envolvida no caso é de cerca de US$ 400.000. O valor do resgate não foi revelado, mas a imprensa paraguaia afirma que seria em torno de US$ 5 milhões. Cecilia, de 31 anos, foi seqüestrada dia 21 de setembro. Também hoje, o Partido Colorado, governista, repudiou pedidos para que fossem decretados o estado de sítio e a pena de morte no país. As solicitação foram feitas à mesa diretora do partido por dois deputados, um deles assessor legal do presidente Nicanor Duarte. As iniciativas, que segundo seus autores visavam conter uma série de seqüestros, foram arquivadas pelo direção do partido.

Agencia Estado,

21 Outubro 2004 | 16h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.