Eduardo Muñoz Álvarez/EFE
Eduardo Muñoz Álvarez/EFE

Ex-presidente peruano Alejandro Toledo será libertado da prisão nos EUA por risco de coronavírus

Preso por corrupção envolvendo a construtora Odebrecht, Toledo tem 74 anos e sofre de hipertensão

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de março de 2020 | 19h46

SAN FRANCISCO - O ex-presidente do Peru Alejandro Toledo, que governou o país entre 2001 e 2006, será libertado da prisão em que está confinado nos EUA devido ao risco de coronavírus. 

Em uma audiência extraordinária por telefone, o juiz Thomas Hixson, do Tribunal Distrital do Norte da Califórnia, ordenou que Toledo fosse libertado e imediatamente confinado em sua casa na área da baía de São Francisco com um sistema de vigilância GPS.

Toledo tem 74 anos e sofre de hipertensão. Sua defesa afirma que ele tem 6% de chance de morrer caso contraia a covid-19, uma porcentagem significativamente maior do que a da média da população. O ex-presidente conseguiu, assim, o que sua defesa vinha buscando insistentemente desde a prisão em julho do ano passado.

Toledo deixará a prisão de Maguire, no condado de San Mateo, na Califórnia, quando seus parentes e amigos depositarem uma fiança de US$ 500 mil em dinheiro e quando sua esposa, Eliane Karp, entregar o passaporte às autoridades.

Toledo é acusado de ter recebido até US$ 35 milhões da construtora Odebrecht em troca de favorecer a empresa brasileira em seus negócios no Peru quando ainda era presidente, e passou os últimos três anos fugindo da Justiça peruana na área de Baía de São Francisco. /EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.