Ex-presidente propõe tirar Chávez do poder à força

O ex-presidente venezuelano Carlos Andrés Pérez afirmou que o atual mandatário de seu país, Hugo Chávez, deve ser removido do poder à força, já que fracassaram os meios pacíficos para atingir esse objetivo. "Nós estamos dispostos a tirá-lo do poder, mas convencidos de que não será pela via pacífica e, sim, pela força", afirmou Pérez à rádio colombiana Caracol. Segundo o ex-chefe de Estado e ex-presidente da Internacional Socialista, seu país está "nas mãos de um louco que não tem freio para nada" e ele próprio, embora não acredite que a saída de Chávez leve a uma guerra civil, admite que "vai haver mortos". Também espera que surja rapidamente um candidato em torno do qual se una a oposição e que dê a todos os detratores de Chávez oportunidade de trabalhar nesse sentido. Falando de Miami para a rádio colombiana, Pérez considerou esgotados "todos os meios pacíficos" para tirar Chávez do poder, ao referir-se à consulta popular proposta pela oposição venezuelana na tentativa de cortar o mandato do atual presidente. Em 2000, Pérez abandonou a Venezuela após perder a imunidade parlamentar que tinha como senador. O Tribunal Supremo de Justiça solicitou no final de 2002 sua extradição dos EUA e da República Dominicana para julgá-lo por uso indevido de recursos públicos. Em agosto de 2003, Chávez acusou-o de armar uma conspiração para derrubá-lo. Pérez governou a Venezuela entre 1974 e 1979 e 1989-1993. Foi destituído do cargo em maio de 1993 e processado por corrupção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.