Ex-presidente sul-coreano interrogado por escândalo de suborno

Roh Moo-hyun é acusado de receber propina da companhia de calçados sul-coreana Taekwang Industry

EFE

26 de abril de 2009 | 05h04

O ex-presidente sul-coreano Roh Moo-hyun será interrogado a próxima semana sobre seu suposto envolvimento em um escândalo de suborno, informou neste domingo seu assessor à agência local "Yonhap".

 

Roh admitiu recentemente que sua mulher, Kwon Yang-sook, tinha aceitado dinheiro de Park Yeon-cha, dirigente da companhia de calçados sul-coreana Taekwang Industry e que foi detido por vários subornos a altos funcionários da Administração do ex-presidente.

 

Também o único filho de Roh é suspeito de ter recebido dinheiro vivo do mesmo empresário. Os advogados do Estado que o interrogarão no próximo dia 30 acham que Roh - que foi presidente entre 2003 e 2008 - era o principal receptor desse dinheiro, embora tenha negado isso.

 

Roh Moo-hyun governou a Coreia do Sul durante uma legislatura (cinco anos) pela legenda Uri (Nosso Partido), criado em novembro de 2003 e formado por deputados leais, após ser inabilitado por seu partido anterior, o Novo Milênio Democrático (NMD).

Tudo o que sabemos sobre:
SEULSUBORNOCOREIA DO SUL

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.