Sáshenka Gutiérrez / EFE
Sáshenka Gutiérrez / EFE

Ex-primeira-dama de Iguala é indiciada no México

Mulher do ex-prefeito responsável pelo desaparecimento de 43 estudantes no ano passado é transferida para prisão federal

O Estado de S. Paulo

05 de janeiro de 2015 | 21h14

CIDADE DO MÉXICO - A mulher do prefeito mexicano cuja força policial entregou 43 estudantes normalistas a um cartel de drogas que supostamente os matou foi acusada formalmente de crime organizado e lavagem de dinheiro.


Maria de los Ángeles Pineda é a mulher de José Luis Abarca, ex-prefeito de Iguala, cidade ao sul do Estado mexicano de Guerrero. Os irmãos de Maria de los Angeles eram líderes do cartel Guerreros Unidos, segundo os promotores. O procurador federal Tomás Xeron disse na segunda que ela foi acusada de participar do crime organizado relacionado ao tráfico de drogas e uso de fundos ilícitos.

Abarca e Maria de los Ángeles foram presos em 4 de novembro na Cidade do México. Abarca foi acusado de crime organizado, sequestro e homicídio em novembro. Pineda ficou detida em prisão domiciliar, mas agora foi transferida para uma prisão federal. Não está claro se as acusações contra ela são relacionadas ao desaparecimento dos estudantes.

Imagens de um vídeo mostram uma mulher abatida sendo escoltada até uma van e depois até um avião no caminho para a prisão. / AP

 

Tudo o que sabemos sobre:
Méxicoestudantes desparecidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.