Ex-primeira-ministra de Bangladesh é detida

Jaleda Zia, líder do Partido Nacionalista de Bangladesh, é acusada de corrupção

Efe e Associated Press,

03 de setembro de 2007 | 02h00

A polícia de Bangladesh deteve nesta segunda-feira, 3,  a ex-primeira-ministra Khaleda Zia e um de seus filhos sob acusações de corrupção e abuso de poder, anunciaram autoridades locais.   Zia é líder do Partido Nacionalista de Bangladesh (BNP), uma das duas grandes legendas do país, e encabeçou a última legislatura, que terminou em outubro de 2006 e deu passagem ao atual governo provisório.   Junto com Zia, foram detidos seu filho Arafat Rahman Koko e outras onze pessoas, todas elas acusadas de corrupção em relação à concessão irregular dos direitos de gestão dos contêineres do porto de Chittagong (sul) e de um armazém de Daca, a capital.   A ex-primeira-ministra e seu filho foram transferidos sob forte esquema de segurança a um tribunal no centro de Daca, segundo a "UNB". A detenção de Zia acontece apenas dois meses depois de outra grande figura política do país, a também ex-primeira-ministra Sheikh Hasina, líder da Liga Awami, ter sido presa por extorsão.   Perante o tribunal, Zia alegou a inocência dela e do filho e qualificou o processo como "uma conspiração" contra sua família e seu partido. Ela permanecerá detida à espera de julgamento. Seu filho, Arafat Rahman Coco, ficará detido por uma semana para que seja interrogado.   Zia, que governou até outubro do ano passado, é acusada de ter excedido seus poderes ao conceder, em 2003, contratos a uma companhia local chamada Global Agro Trade Company. Seu filho a teria influenciado a tomar a decisão.   O governo provisório de Bangladesh está imerso em uma campanha anticorrupção desde janeiro, quando declarou o estado de exceção, ainda vigente, por causa de uma onda de violência política entre os seguidores de Zia e os de Hasina.   No meio desses enfrentamentos políticos, o governo interino decidiu também adiar para 2008 as eleições, que estavam previstas em princípio para o final de janeiro.

Tudo o que sabemos sobre:
BangladeshpremierJaleda Zia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.