Ex-primeira-ministra do Paquistão tem candidatura negada

A ex-primeira-ministra do Paquistão, Benazir Bhutto, manifestou-se hoje "muito surpreendida" ao saber que a indicação para sua candidatura às eleições de outubro próximo foi negada pelas autoridades. Bhutto, que nos últimos meses está residindo em Londres como exilada, disse que apelará da decisão à Suprema Corte. "Continuarei lutando para conseguir um lugar", disse. Bhutto afirmou que está considerando a possibilidade de regressar ao país caso as autoridades paquistanesas decidam aprovar a candidatura oficial antes de 10 de outubro, dia das eleições. "Poderia até mesmo concorrer às eleições da prisão", disse a ex-mandatária, alegando estar segura de que "poderia ganhar as eleições mesmo que me aprisionem". Um porta-voz do governo em Islamabad afirmou que Bhuto não pode ser indicada para as próximas eleições porque ainda não foi decidido o processo em que ela é acusada de corrupção e pelo qual, se for condenada, deverá cumprir até três anos de prisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.