Ex-primeiro-ministro de Portugal seguirá preso

Um juiz decidiu que o ex-primeiro-ministro de Portugal, José Sócrates, deve responder as acusações de corrupção, lavagem de dinheiro e fraude fiscal na prisão. Segundo declaração divulgada pela Corte nesta segunda-feira, o juiz decidiu após uma audiência preliminar de que há evidências o suficiente para manter o ex-premiê sob custódia.

Estadão Conteúdo

24 de novembro de 2014 | 21h12

De acordo com a lei do país, um promotor público irá conduzir as investigações antes de apresentar acusações formais, em um processo que pode levar mais de seis meses. Um juiz então decidirá se ele será posto em julgamento.

Sócrates foi um primeiro-ministro de centro-esquerda entre 2005 e 2011. Ele foi preso na noite da sexta-feira e está detido desde então. Autoridades se recusaram a dar detalhes do caso, já que uma lei de segredo judicial impede a divulgação de informações quando a investigação ainda está em curso. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
juizPortugalex-primeiro-ministro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.