Ex-primeiro-ministro japonês quer ir à Coréia do Norte

O ex-primeiro-ministro do Japão, Junichiro Koizumi, poderá ir à Coréia do Norte para tentar desbloquear as relações diplomáticas entre os dois países, informou nesta quinta-feira a rede de televisão japonesa NHK.Koizumi, que abandonou a chefia de governo em setembro, depois de cinco anos e meio, revelou seus planos após uma reunião com o ex-vice-presidente do Partido Liberal Democrático (PLD), Taku Yamasaki."Eu não quero interferir na administração de Shinzo Abe, mas o assunto do desarmamento nuclear na península coreana é uma prioridade máxima. Por isso quero fazer a viagem", disse Koizumi."A política com a Coréia do Norte tem que seguir duas linhas: o diálogo e a pressão", acrescentou.Como primeiro-ministro Koizumi visitou a Coréia do Norte em 2002 e 2004. Ele e o líder do regime comunista, Kim Jong-il, assinaram a Declaração de Pyongyang, comprometendo-se a trabalhar para normalizar as relações diplomáticas."É preciso reativar a declaração de Pyongyang. Por isso quero visitar a Coréia do Norte pela terceira vez", afirmou Koizumi.De acordo com a rede de televisão, caso o ex-primeiro-ministro vá à Coréia do Norte, terá o status de enviado especial de Shinzo Abe.O processo de restabelecimento das relações diplomáticas tem sido prejudicado pela pouca colaboração de Pyongyang para esclarecer o destino dos japoneses seqüestrados por agentes norte-coreanos há 30 anos. Os testes de mísseis norte-coreanos nas águas internacionais do Mar do Japão e o teste nuclear de outubro pioraram a situação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.