Ex-professor universitário quer ficar mais tempo na prisão

Um ex-professor da Universidade Central da Flórida, preso por violar leis da imigração, pediu ao juiz para ficar mais tempo na Cadeia de Seminole, porque quer ficar perto da família. O pedido de Hussam Jubara, de 42 anos, que deverá ser deportado, surpreendeu o juiz distrital Gregory Presnell. Ele pretendia sentenciar Jubara a quatro meses, que ele já cumpriu, por fazer declarações falsas em formulários do Departamento de Imigração dos EUA.Isto significaria a imediata soltura da Cadeia de Seminole, mas o Escritório de Imigração e Aduana iria mantê-lo em custódia e mudá-lo para outra prisão nas cidades de Manatee ou Clay, a cerca de duas horas de distância. Assim, Presnel mudou a pena para cinco meses, o que significa que Jubara passará mais um mês em Seminole.?Parece algo bizarro, vindo de um condenado, pedir mais pena do que merece?, disse Presnell ao réu. ?Se você quer mais tempo, eu lhe darei. Espero que seja a primeira e última vez que faço isto.?Jubara é um palestino apátrida e, portanto, deverá permanecer preso até que os EUA encontrem um país que o aceite como deportado. Ele, que ensinava engenharia da computação, atraiu muita atenção por causa de suas ligações com Sami Al-Arian, um ex-professor da Universidade do Sul da Flórida acusado de levantar fundos para terroristas que atacaram Israel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.