Ex-refém das Farc pede apoio à política de Álvaro Uribe

O ex-ministro colombiano Fernando Araújo, que escapou das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc),pediu o apoio da população à política do presidente Álvaro Uribe para resgatar as 58 pessoas que a guerrilha ainda mantém como reféns.Araújo afirmou, após uma reunião com Uribe, em Bogotá, que o país não deve renunciar as operações militares de resgate. Para ele, isso seria "um certificado de impunidade para o seqüestro"."Se os seqüestradores acharem que não haverá operações militares de resgate, em lugar de 3 mil seqüestros por ano, como tínhamos, teremos 10 mil", previu Araújo.No dia 31 de dezembro, o ex-ministro fugiu do seu cativeiro, nas selvas do norte do país. Ele aproveitou uma operação militar por ar e terra para escapar de seus seqüestradores e apareceu cinco dias depois.Segundo ele, os colombianos devem apoiar a decisão de Uribe de buscar pela via militar o retorno dos políticos, policiais e estrangeiros (três americanos) que as Farc pretendem trocar por cerca de 500 insurgentes presos, entre eles dois extraditados aos Estados Unidos.As Farc negociam uma troca humanitária numa área desmilitarizada. Uribe não aceita um território neutro."Pela segurança dos seqüestrados, eu apóio atroca humanitária, naturalmente", afirmou Araújo. Mas ele insistiu em que o resgate militar é uma possibilidade que não pode ser descartada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.