Ex-rei pede aos afegãos que escolham o destino do país

O ex-rei do Afeganistão, Mohammed Zaher Shah, pediu nesta quarta-feira ao povo afegão que escolha livremente seu próprio destino agora que o Taleban abandonou a capital Cabul. Em uma declaração que será transmitida pelo rádio dentro do Afeganistão, Zaher Shah, de 87 anos, também que pede que acabe logo o bombardeio liderado pelos Estados Unidos contra o Afeganistão. "O povo afegão reivindicará novamente a posição (do país) entre a comunidade de nações com dignidade e orgulho", disse.A declaração não faz menção ao papel que o rei desempenharia num Afeganistão pós-Taleban. Ele era visto como um possível conciliador nos esforços para criar uma forma de estabelecer um governo estável no Afeganistão, país onde vivem diversos grupos étnicos e lingüísticos.Mas os assessores de Zaher Shah disse que ele pretende retornar ao seu país em breve como um símbolo de unidade nacional. O assessor Abdul Sttar Sirat disse que Zaher Shah pretende ir a seu país "quando o povo do Afeganistão decidir". Zirat afirmou que o ex-rei "espera estar no Afeganistão para a segurança de seu povo. Não hoje, nem amanhã, mas em breve".Zaher Shah "tem o privilégio de ser uma figura paterna para a nação afegã", disse Sirat. "Ele é um símbolo da unidade nacional. Ele viajará ao Afeganistão com esta imagem. Ele terá um papel importante a desempenhar na união do povo afegão."No pronunciamento, que deverá ser lido por um dos assessores do monarca, o rei diz que os acontecimentos dos últimos dias mostraram a necessidade "da cooperação, da solidariedade e da unidade para o estabelecimento da ordem e da lei".Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.