Ex-senador argentino põe fogo no corpo em sinal de protesto

O ex-senador argentino Manuel de Arma está em estado grave após tentar suicidar-se queimando-se, ao estilo dos monges budistas, em protesto porque as autoridades da província de Buenos Aires não atenderam a seus pedidos. A tentativa de suicídio de De Arma, membro da governista União Cívica Radical (UCR), ocorreu na terça-feira, quando ele se apresentou diante da sede de governo da cidade de La Plata, a 50 km da capital argentina. A vítima tentou entregar uma reclamação em defesa de uma associação beneficente de turismo que funciona em Merlo, na província de Buenos Aires, e para isso requeria a atenção das autoridades provinciais. Diante da negativa ao seu pedido, De Arma colocou fogo no veículo dentro do qual se encontrava, e do qual foi resgatado pelos bombeiros. As autoridades disseram que De Arma, de 55 anos, se encontra internado em estado grave devido às queimaduras recebidas, e que hoje provocaram nele uma descompensação respiratória. A irmã do ex-senador, Beatriz de Arma, negou que a vítima apresentasse "problemas psiquiátricos", como mencionou o ministro do Governo, Raúl Otacehé.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.