Ed Ferreira / Estadão
Ed Ferreira / Estadão

Ex-senador boliviano segue internado em estado grave em Brasília

Asilado no Brasil desde 2013, quando fugiu do governo de Evo Morales, Roger Pinto Molina sofreu um acidente em Goiás com um avião de pequeno porte na noite de sábado

Lu Aiko Otta, O Estado de S.Paulo

13 Agosto 2017 | 18h30

BRASÍLIA - A Secretaria de Saúde do Distrito Federal informou que o estado de saúde do ex-senador Roger Pinto Molina é grave, "instável" e com suporte clínico, mas sem indicação de cirurgia. Ele sofreu um acidente com um avião de pequeno porte, prefixo PU-MON, que caiu na noite de ontem próximo ao aeroclube de Luziânia em Goiás. Ele foi transferido para o Hospital de Base de Brasília na manhã deste domingo, 13. 

Segundo nota do Hospital de Base, ele deu entrada na noite de sábado "em estado grave, politraumatizado, com traumatismo crânio-encefálico". O paciente passou por drenagem bilateral do tórax, traqueostomia de urgência e na tarde de ontem recebia ventilação mecânica.

Um grupo de investigadores do 6º Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa 6) seguiu na manhã deste domingo para Luziânia (GO) para investigar a queda.

Pinto vivia em Brasília após haver saído clandestinamente de seu país com a ajuda do diplomata Eduardo Saboia, em agosto de 2013. Molina voava só e foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros de Luziânia e trazido de helicóptero, em estado grave, para o Hospital de Base, na capital federal. 

Segundo a Aeronáutica, o grupo realizará uma primeira etapa de investigação, colhendo registros fotográficos, documentos e realizando entrevistas. "O objetivo da investigação realizada pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), e pelos seus Serviços Regionais, é prevenir novas ocorrências com características semelhantes", informa nota divulgada pela Aeronáutica. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.