EFE/Shawn Thew
EFE/Shawn Thew

Ex-senador da Virgínia desiste das primárias democratas

Jim Webb afirmou que a decisão foi tomada porque seus pontos de vista não coincidem com os do partido

O Estado de S. Paulo

20 Outubro 2015 | 17h33

WASHINGTON - Jim Webb, ex-senador pela Virgínia, anunciou nesta terça-feira, 20, que deixará as eleições primárias do Partido Democrata para chegar à Casa Branca, apesar de não ter descartado a possibilidade de concorrer como independente.

"Me retiro de qualquer aspiração para ser o candidato do Partido Democrata à presidência. Isso não diminui de modo algum minhas preocupações sobre os desafios que o país enfrenta", disse Web em entrevista coletiva em Washington.

Webb, até então um dos cinco pré-candidatos democratas à Casa Branca, afirmou que a decisão foi tomada porque seus pontos de vista não coincidem com os do partido. O fato de deixar a campanha, completou o ex-senador, não tem relação com sua baixa popularidade nas pesquisas de intenção de voto.

"Vamos ver o que ocorre depois. Tenho a intenção de passar duas semanas conversando com as pessoas sobre uma candidatura independente", indicou.

O ex-senador pela Virgínia disse que, quando está rodeado por democratas, se sente como um republicano e vice-versa. Por isso, dependendo dos apoios que receber nas próximas semanas, pode se lançar como independente na corrida pela presidência dos EUA.

"Nosso processo político está atolado desde o topo, precisamos de um intermediário honesto que entenda ambos os lados", afirmou.

As candidaturas independentes nos EUA costumam não angariar apoios significativos e são extremamente caras para os que optam por esse caminho devido à falta de respaldo de um partido.

A renúncia de Webb deixa Martin O'Malley, ex-governador de Maryland, e Lincoln Chafee, ex-governador de Rhode Island, como os dois pré-candidatos democratas com menor apoio popular.

A ex-secretária de Estado Hillary Clinton continua liderando as pesquisas, seguida por Bernie Sander, senador por Vermont, a espera de que o vice-presidente Joe Biden decida se entra ou não na corrida rumo à Casa Branca.

Webb abandona a campanha com apenas 1% das intenções de voto, de acordo com a média de pesquisa realizada pelo site RealClearPolitics, a metade do apoio registrado a O'Malley.

Washington, 20 out (EFE).- Jim Webb, ex-senador pela Virgínia, anunciou nesta terça-feira que deixará as eleições primárias do Partido Democrata para chegar à Casa Branca, apesar de não ter descartado a possibilidade de concorrer como independente no pleito.

"Me retiro de qualquer aspiração para ser o candidato do Partido Democrata à presidência. Isso não diminui de modo algum minhas preocupações sobre os desafios que o país enfrenta", disse Web em entrevista coletiva em Washington.

Webb, até então um dos cinco pré-candidatos democratas à Casa Branca, afirmou que a decisão foi tomada porque seus pontos de vista não coincidem com os do partido. O fato de deixar a campanha, completou o ex-senador, não tem relação com sua baixa popularidade nas pesquisas de intenção de voto.

"Vamos ver o que ocorre depois. Temos a intenção de passar duas semanas conversando com as pessoas sobre uma candidatura independente", indicou.

O ex-senador pela Virgínia disse que, quando está rodeado por democratas, se sente como um republicano e vice-versa. Por isso, dependendo dos apoios que receber nas próximas semanas, pode se lançar como independente na corrida pela presidência dos EUA.

"Nosso processo político está atolado desde o topo, precisamos de um intermediário honesto que entenda ambos os lados", afirmou.

As candidaturas independentes nos EUA costumam não angariar apoios significativos e são extremamente caras para os que optam por esse caminho devido à falta de respaldo de um partido.

A renúncia de Webb deixa Martin O'Malley, ex-governador de Maryland, e Lincoln Chafee, ex-governador de Rhode Island, como os dois pré-candidatos democratas com menor apoio popular.

A ex-secretária de Estado Hillary Clinton continua liderando as pesquisas, seguida por Bernie Sander, senador por Vermont, a espera de que o vice-presidente Joe Biden decida se entrar ou não na corrida rumo à Casa Branca.

Webb abandona a campanha com apenas 1% das intenções de voto, de acordo com a pesquisa realizada pelo "RealClearPolitics", a metade do apoio registrado a O'Malley. / EFE

Mais conteúdo sobre:
Jim Webb eleições nos EUA Virgínia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.