Ex-senadora prepara ação contra o Estado colombiano

A ex-senadora colombiana Piedad Córdoba prepara uma ação judicial contra o Estado colombiano por considerar que foram violados alguns dos seus direitos fundamentais, informou nesta terça-feira o advogado da política, Luis Guillermo Pérez.

AE, Agência Estado

23 de agosto de 2011 | 20h17

A demanda será apresentada ante a Comissão Interamericana dos Direitos Humanos, com sede em Washington, "dentro de alguns meses" porque a argumentação ainda está sendo elaborada, afirmou Pérez.

Piedad Córdoba alega ter sido perseguida pelo ex-presidente colombiano Alvaro Uribe, que governou entre 2002 e 2008. "A ação ocorre porque os direitos fundamentais de Piedad Córdoba foram violados. Ela foi perseguida durante oito anos pelo governo de Alvaro Uribe. Essa perseguição levou a uma violência contra o direito à intimidade da senadora, ela teve todas as suas chamadas telefônicas grampeadas", afirmou Pérez.

Uribe negou ter ordenado o grampo das chamadas de Piedad Córdoba ou de qualquer outras pessoa. Durante a era de Uribe, a polícia secreta colombiana grampeou centenas de chamadas de vários políticos e outras pessoas consideradas suspeitas pelo aparato policial de Estado.

Piedad Córdoba foi cassada do cargo de senadora em setembro de 2010 pelo judiciário, por ter tido supostos vínculos com a guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Segundo o judiciário, os contatos da senadora com a guerrilha, entre 2007 e 2010, iam além das gestões da política para a libertação dos reféns mantidos no cativeiro pelas Farc.

Pérez anunciou na semana passada que a ex-senadora Córdoba, de 56 anos, deixou a Colômbia em 18 de agosto após receber ameaças de morte.

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaOEAPiedad CórdobaUribe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.