Ex-soldado americano se une a forças curdas e luta contra o EI na Síria

Jordan Matson atuou no Exército dos EUA de 2006 a 2007 e uniu-se a um grupo que luta perto das fronteiras com a Turquia e o Iraque

O Estado de S. Paulo

03 Outubro 2014 | 10h48

BEIRUTE/CHICAGO - Um ex-soldado americano uniu-se a forças curdas na luta contra militantes do Estado Islâmico (EI) no norte da Síria, um raro caso em que um único cidadão dos EUA buscou combater extremistas na Síria.

Jordan Matson, de Wisconsin, uniu-se às Unidades de Proteção do Povo Curdo (YPG), que lutam principalmente contra os avanços de militantes do EI perto da fronteira com a Turquia e o Iraque, disse o porta-voz do grupo curdo, Redur Xelil, na quinta-feira.

Xelil confirmou a presença de Matson com o grupo em uma nota online. "Ele está lutando na área de Jazaa", que fica no nordeste da Síria e onde ocorrem pesados combates entre o YPG e o grupo jihadista.

A mãe de Matson, por meio de um amigo na cidade natal de Sturtevant, Estado de Wisconsin, disse que não queria comentar o assunto. Segundo o Exército dos EUA, Matson foi soldado de maio de 2006 a novembro de 2007.

Autoridades dos EUA disseram que cerca de 100 americanos foram para a Síria para se juntar a grupos que lutam contra o presidente sírio, Bashar Assad. Entre esses grupos estão o EI,forças rebeldes apoiadas pelos EUA e a Frente al-Nusra, grupo ligado à Al-Qaeda. / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Estado IslâmicoEUASíriaIraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.