Ex-terrorista alemã será libertada após 24 anos de prisão

A ex-terrorista alemã Brigitte Mohnhaupt será libertada após passar mais de 24 anos na cadeia. Ela foi condenada à prisão perpétua ter pertencido à Fração do Exército Vermelho (RAF) e participado de diversos assassinatos.A decisão foi tomada nesta segunda-feira, 12, pela Audiência Territorial de Stuttgart, que aceitou um pedido para que Mohnhaupt fosse colocada em liberdade condicional após ter cumprido uma parte considerável da pena.De acordo com o tribunal, atualmente, não há indícios de que Brigitte represente um perigo para a sociedade. Após deixar a prisão, em 27 de março, no entanto, a ex-terrorista terá de comparecer regularmente perante a polícia pelos próximos cinco anos.Mohnhaupt, de 57 anos, pertenceu à cúpula da RAF entre 1977 e 1982, quando foi capturada. Ela participou das ações que levaram aos assassinatos do banqueiro Jürgen Ponto e do promotor federal Siegfried Bubak, entre outros.Em 1976, Mohnhaupt foi chamada para depor como testemunha no julgamento dos líderes da primeira geração da RAF, Andreas Baader e Ulrike Meinhof, mas recusou-se a falar diante dos representantes do Estado. Ela era uma das possíveis sucessoras no comando da organização.Nove anos depois, a ex-terrorista foi condenada a cinco prisões perpétuas e 15 anos de prisão. No entanto, na Alemanha, somente em casos extremos um condenado à prisão perpétua morre preso. Grande parte é colocada em liberdade condicional, após um longo período na cadeia.Em 1998, Monhnaupt aderiu à declaração de dissolução da RAF e as autoridades foram convencidas de que ela abriu mão da luta armada como forma de conquistar objetivos políticos. Os familiares das vítimas da ex-terrorista lamentam que ela não tenha realizado oficialmente uma manifestação de arrependimento por seus atos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.