Ex-torturador argentino tenta o suicídio

Um dos 46 militares cuja extradição foi pedida pela Justiça espanhola por acusações de violar os direitos humanos durante a última ditadura militar tentou suicidar-se na madrugada desta sexta-feira, confirmou a Prefeitura Naval (guarda costeira) em Buenos Aires. O suicida foi identificado como Juan Antonio Azic, suboficial dessa guarda, que disparou uma bala em seu pescoço. Ele foi conduzido em estado grave para o Hospital Naval. O juiz federal Rodolfo Canicoba Corral, que recebeu o pedido da Espanha, pediu na quinta-feira a prisão preventiva dos 45 militares, alguns dos quais já se apresentaram espontaneamente. Azic é o único integrante da guarda costeira na lista dos ex-torturadores cuja extradição foi pedida pelo juiz espanhol Baltazar Garzon, em Madri. Os demais são oficiais de alta patente do exército, marinha e aeronáutica, entre eles o ex-presidente Jorge Videla e o ex-almirante Emilio Massera. O presidente Néstor Kirchner, que regressou hoje de uma visita aos EUA, deverá resolver sem demora se anula ou mantém um decreto do ex-presidente Fernando de la Rúa que rejeitava qualquer pedido de extradição de militares.

Agencia Estado,

25 Julho 2003 | 11h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.