, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2010 | 00h00

O ex-chefe do principal centro de tortura do Khmer Vermelho, Kang Keng Iev (foto), conhecido como Duch, foi condenado ontem por crimes contra a humanidade no tribunal internacional para o genocídio do Camboja, que tem apoio da ONU. Duch comandou a prisão de Tuol Sleng, em Phnom Penh, onde 17 mil cambojanos teriam sido torturados e mortos entre 1975 a 1979. Ele foi condenado a 35 anos de prisão, mas teve sentença reduzida em 16 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.