Ex-vice presidente da RDC é julgado em Haia por crimes de guerra

Um ex-vice presidente da República Democrática do Congo (RDC) foi a julgamento no Tribunal Penal Internacional na segunda-feira, sob a acusação de deixar seus soldados estuprarem e matarem na República Centro-Africana.

AARON GRAY-BLOCK, REUTERS

22 de novembro de 2010 | 15h45

Jean-Pierre Bemba, de 48 anos, é o mais importante líder político até agora a ser detido pelo TPI. Ele enfrenta duas acusações de crimes contra a humanidade e três acusações de crimes de guerra.

Bemba é acusado de conduzir as tropas pelo território da República Centro-Africana entre o fim de 2002 e o começo de 2003, sob o convite de Ange-Felix Patasse, presidente da república à época, numa tentativa mal-sucedida de reverter tentativas de golpe.

O procurador chefe Luis Moreno-Ocampo disse que Bemba enviou cerca de 1.500 soldados à República Centro-Africana, onde eles cometeram centenas de estupros e pilharam propriedades a fim de disseminar o terror e devastar comunidades, e que Bemba não controlou suas tropas.

"Os soldados de Bemba roubaram as posses das pessoas mais pobres de um dos países mais pobres do mundo", afirmou Moreno-Ocampo.

"As mulheres foram estupradas sistematicamente para garantir o domínio e reduzir a resistência. Os homens foram violentados em público para destruir a autoridade deles e a sua capacidade de liderança.

Bemba se disse inocente de todas as cinco acusações por meio de seu principal advogado de defesa, Nkwebe Liriss.

Tudo o que sabemos sobre:
CONGOHAIABEMBA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.