Ex-vice-presidente do Egito morre nos EUA

O ex-chefe de espionagem do Egito, homem de confiança de Hosni Mubarak, Omar Suleiman, morreu nesta quinta-feira nos Estados Unidos, aos 76 anos. A agência de notícias estatal Middle East News Agency afirma que Suleiman sofria com problemas nos pulmões e coração e estava sendo tratado em um hospital em Cleveland.

AE, Agência Estado

19 de julho de 2012 | 09h40

Suleiman era conhecido como "caixa-preta" pela mídia egípcia, pois falava pouco mas tinha influência em virtualmente todas as questões de segurança do país. Assim como Mubarak, ele foi um inimigo feroz dos islamitas e aliado dos EUA e Israel, chegando até mesmo a ser cogitado como sucessor de Mubarak

Suleiman chegou à vice-presidência do Egito em 29 de janeiro de 2011, no ápice da revolução que depôs Mubarak, em uma última tentativa de impedir que os milhares de manifestantes que tomaram as ruas do Cairo forçassem o fim do regime que dominou o Egito por três décadas.

Após a revolução, Suleiman desapareceu da vista do público. Mas retornou no começo deste ano como candidato à presidência, produzindo receios de uma volta do antigo governo. Entretanto, em uma decisão surpreendente, a comissão eleitoral egípcia desqualificou sua candidatura, bem as de dois candidatos islamitas. Sua súbita emergência e queda levantou suspeitas de que foi um movimento orquestrado pelos militares para derrubar os dois candidatos islamitas.

O militar foi chefe da agência de espionagem egípcia por quase duas décadas. Na maior parte desse tempo seu papel foi lidar nos bastidores com as questões mais importantes da segurança do Estado, incluindo relações com os EUA, Israel e palestinos. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Egitomorteex-vice-presidente

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.