Execução de iraniana pode ocorrer a qualquer momento, alerta ONG

Para Anistia Internacional, Irã só quer reduzir pressão internacional com suposta 'revisão de pena'

Efe

11 de agosto de 2010 | 15h20

LONDRES - A Anistia Internacional alertou a comunidade internacional nesta quarta-feira, 11, para o grave risco que segue correndo a iraniana Sakineh Mohammadi Ashtiani, condenada por adultério e assassinato, de ser executada a qualquer momento no Irã.

 

Veja também:

linkIrã veta envio de condenada ao Brasil

link25 aguardam execução por apedrejamento no Irã

linkHillary Clinton pressiona Irã por execuções

blog Como Irã, Japão e EUA adotam pena de morte

especialESPECIAL - Caso Sakineh Ashtiani

 

Ashtiani foi considerada culpada por ter mantido "relações ilícitas" com dois homens no ano 2006 e desde então permaneceu em prisão na cidade de Tabriz. Recentemente, ela foi condenada à morte por apedrejamento, mas a pressão internacional fez o Irã acusá-la também por assassinato e mudar a forma de execução para enforcamento.

 

A AI lembrou em seu comunicado que esta mulher perdeu sua principal defesa depois que seu advogado, Mohammad Mostafaei, deixou o Irã por perseguição. A organização dos direitos humanos disse que embora em 4 de agosto a condenação à morte de Ashtiani tenha começado a ser revisada no Tribunal Supremo iraniano, essa revisão poderia tratar-se de uma tentativa das autoridades do Irã para reduzir a pressão internacional.

 

A AI ressaltou que enquanto não existir uma declaração expressa da magistratura iraniana anulando a condenação por apedrejamento, Ashtiani "poderá ser morta a qualquer momento". A entidade continua recolhendo assinaturas no site www.actuaconamnistia.org para pedir que a execução não ocorra.

 

O caso de Sakineh ganhou repercussão mundial após seu advogado denunciá-lo em um blog na internet. Perseguido pelo regime de Teerã, Mostafaei fugiu para a Turquia e recebeu asilo político na Noruega.

 

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva ofereceu refúgio à iraniana, mas a oferta foi rejeitada pela república islâmica. Cerca de 25 pessoas aguardam execução por apedrejamento no Irã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.