Executiva da News International pede demissão

Rebekah Brooks era diretora do "News of the World" quando ocorreram os grampos ilegais

Efe

15 de julho de 2011 | 08h14

Rebekah Brooks foi diretora do "News of the World" entre 2000 e 2003

 

 

LONDRES - Rebekah Brooks, conselheira executiva do grupo midiático News International, pediu demissão nesta sexta-feira, 15, devido ao escândalo das escutas ilegais praticadas pelo tabloide "News of the World" quando era sua diretora.

 

Veja também:

linkFBI apura grampo de jornal a vítimas do 11 de setembro

linkFamília de Jean Charles pode ter sido alvo de grampo telefônico

linkEditora responderá a perguntas no Parlamento

linkEx-diretor executivo é detido em Londres

 

O desligamento de Brooks foi anunciado nesta sexta-feira pela News International - filial britânica do conglomerado News Corporation, pertencente a Rupert Murdoch -, à qual pertence o "News of the World".

 

A executiva, de 43 anos, vinha sofrendo grande pressão para deixar o cargo, após se tornar um dos alvos mais visíveis da polêmica referente aos grampos ilegais. Ela será substituída pelo atual executivo-chefe da Sky Itália, Tom Mockridge, informou a empresa.

 

Ao divulgar sua decisão em um e-mail interno ao pessoal da companhia, Brooks disse nesta sexta-feira que deixa a empresa para facilitar a solução à atual crise que atinge a News International - filial britânica do conglomerado News Corp.

"Meu desejo de me manter (no posto) se transformou no centro do debate. Isto distrai a atenção de todos nossos sinceros esforços para regular os problemas do passado", indica a mensagem.

 

"Portanto, apresentou minha demissão a Rupert e James Murdoch. Desta vez minha decisão foi aceita", acrescentou a jornalista, que já tinha deixado o cargo à disposição na semana passada, mas foi mantida.

 

Brooks trabalhou na News International durante 22 anos. Foi diretora do "News of World" entre 2000 a 2003, a primeira mulher diretora do diário "The Sun", entre 2003 e 2009, e desde então conselheira delegada da empresa, à qual qualifica como "a melhor do mundo".

 

Em sua mensagem, Brooks manifesta seu "sentimento de responsabilidade" pelas pessoas que foram afetadas pelo escândalo e reitera que lamenta todo o ocorrido no "News of the World".

Ela agradeceu a Rupert Murdoch pelo apoio ao longo de sua carreira e durante este escândalo.

 

"A News International está cheia de gente com talento, profissional e honrada. Sinto-me orgulhosa de ter feito parte da equipe e feliz por ter conhecido muitos jornalistas e diretores brilhantes", acrescentou Brooks, que deverá se apresentar na próxima terça-feira a depor ao Comitê de Meios de Comunicação, Cultura e Esporte da Câmara dos Comuns do Parlamento britânico.

 

Em 2006, revelou-se que alguns jornalistas do "News of the World" supostamente recorriam a grampos para interceptar telefonemas de celebridades, especialmente as mensagens de voz deixadas nas caixas de telefones celulares.

 

Leia mais:

lista Entenda o escândalo dos grampos envolvendo o 'News of the World'

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.