Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Executivo do Google está entre os mortos no monte Everest

Dan Fredinburg praticava escalada com mais três funcionários da empresa, que sobreviveram

O Estado de S. Paulo

25 de abril de 2015 | 20h19

Dan Fredinburg, um executivo do Google que se definia como um aventureiro, está entre os 1.400 mortos do terremoto de 7,8 pontos na escala Richter que atingiu o Nepal no sábado. Ele estava no acampamento-base do monte Everest, atingido parcialmente por uma avalanche causada pelo tremor.

O Google confirmou a morte do executivo. Lawrence You, diretor de privacidade da companhia, declarou que Fredinburg estava com mais três funcionários do Google escalando o monte Everest. Os demais sobreviveram, estão seguros e a companhia está trabalhando para levá-los de volta para casa, afirmou You. Fredinburg sofreu uma forte pancada na cabeça e não resistiu ao ferimento.

De acordo com o blog de tecnologia Re/Code, Fredinburg era um alpinista experiente que co-fundou, em seu tempo livre, o projeto Google Adventure, cuja proposta era “traduzir o conceito do Street View para o extremo, localizações exóticas, como o topo do monte Everest ou a grande barreira de recifes da Austrália”, segundo descrição da comunidade Startup Grind, que monitora startups. 

De acordo com um perfil publicado pelo New York Times, Fredinburg já havia liderado uma série de expedições à área do Everest, coletando imagens para o projeto Google Street View. Algumas delas, ele inclui no Google Maps. "Agora você pode explorar algumas das montanhas mais famosas do mundo, incluindo o Aconcagua, o Kilimanjaro, o monte Elbrus e o acampamento-base do Everest no Google Maps”, escreveu Fredinburg em um blog em 2013. 

Fredinburg também ajudou a fundar a Save the Ice, organização dedicada a divulgar informações relativas ao aquecimento global por meio de “campanhas de aventura e eventos pelo mundo”.

Ele começou a trabalhar no Google em 2007, onde atuou como gerente de produto e como diretor de privacidade da Google X, braço de projetos sigilosos de alta perfomance, como o de carros autoconduzidos ou o de uso de satélites estratosféricos para levar internet a áreas rurais em países em desenvolvimento.

Ajuda. O Google divulgou que lançou uma ferramenta de “busca de pessoas” para o Nepal para ajudar as pessoas a encontrar parentes e amigos após o terremoto e está “trabalhando para atualizar as iamgens de satélite para ajudar no esforço de recuperação do país”.

Tudo o que sabemos sobre:
AvalancheTerremotoNepalEverest

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.