Executivo siciliano é fuzilado na cadeira do barbeiro

Um executivo siciliano com ligações com o crime organizado foi morto a tiros nesta quarta-feira na cadeira do barbeiro, enquanto esperava ser atendido, disseram as autoridades, que temem que a execução marque o início de uma guerra de gangues por território. O noticiário italiano não era claro quanto a se um ou dois assassinos entraram na barbearia da cidade de Favara, onde Carmelo Milioti, de 51 anos, foi morto. O barbeiro teria dito à polícia que não viu nada. Segundo o promotor-chefe de Palermo, Piero Grasso, a execução de Milioti representa ?uma ruptura da paz? que vinha reinando entre grupos mafiosos rivais na região.?Não sabemos se este crime representa o início de uma guerra da Máfia ou se é apenas o resultado de uma decisão da alta cúpula da Cosa Nostra?, acrescentou. O promotor disse que o caráter sensacional do crime deve representar ?um recado? para alguém.A imprensa italiana relacionou a morte de Milioti ao assassinato de Albert Anastasia, mafioso italiano morto numa barbearia em 1957. ?Milioti era uma figura importante no mundo das obras públicas e dos negócios, ligado à Stidda?, Grasso teria dito, segundo a agência italiana Ansa. A Stidda é uma quadrilha rival da Máfia na costa sul da Sicília.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.