Exercícios não se dirigem à China, esclarecem EUA

O Departamento de Defesa dos EUA tentou se defender ontem das críticas do governo chinês, que atacou duramente os exercícios militares entre americanos e sul-coreanos no Mar Amarelo. De acordo com o capitão Darryn James, porta-voz do Pentágono, as manobras navais tem como objetivo a Coreia do Norte, e não a China.

, O Estado de S.Paulo

27 de novembro de 2010 | 00h00

"É importante dizer que os exercícios não são direcionados à China, mas pretendem conter a Coreia do Norte", afirmou James. Como parte do treinamento, os EUA enviaram para o Mar Amarelo o porta-aviões nuclear USS George Washington. As manobras navais começam amanhã e terminam na quarta-feira. Segundo o Pentágono, elas estavam previstas antes do ataque à ilha de Yeonpyeong.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.