Exército adia restrição que seria imposta a palestinos

O Exército israelense adiou nesta quarta-feira sua mais recente restrição à movimentação de palestinos - a proibição de eles usarem carros com placas israelenses na Cisjordânia. A decisão tinha sido anunciada dois dias antes de a restrição entrar em vigor. O Exército havia citado razões de segurança para a proibição, afirmando que alguns dos homens-bomba suicidas que entraram em Israel vindos da Cisjordânia, nos últimos anos, eram transportados por cidadãos israelenses - a maioria, árabes israelenses - cujos carros tinham placas que lhes permitiam atravessar os bloqueios das rodovias e ruas sem serem submetidos a controles. No entanto, grupos de direitos humanos afirmaram que a ordem fazia parte de um esquema israelense mais abrangente e discriminatório para criar sistemas viários separados para os assentados israelenses e os palestinos na Cisjordânia. As organizações humanitárias também se opuseram à ordem, dizendo que ela também prejudicaria o trabalho humanitário na Cisjordânia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.