Exército americano irá rever relatórios sobre mortes de soldados

O Exército americano iniciou uma nova análise dos relatórios sobre as baixas entre soldados americanos no Afeganistão, Iraque e outras partes do mundo desde 2001, em uma resposta às reclamações de que nunca deu informações precisas às famílias dos militares mortos.A revisão cobre centenas de baixas nas operações Liberdade Duradoura e Iraque Livre - as campanhas dos Estados Unidos no Afeganistão e no Iraque, respectivamente. As análises incluem também as mortes de militares em países vizinhos em suporte às duas operações.Nas próximas semanas, o Exército irá formalizar a revisão.Com a análise, o Exército pretende identificar os erros das autoridades ao informar as famílias dos soldados sobre as circunstâncias das mortes dos oficiais.O caso mais conhecido é o do capitão Pat Tillman, um ex-jogador de futebol americano que deixou o esporte para se unir ao Exército e foi morto por fogo amigo no Afeganistão em abril de 2004. A família de Tillman foi informada inicialmente de que ele havia sido morto por inimigos. Cinco semanas depois, no entanto, ficaram sabendo da verdade: ele fora atingido por seus companheiros após uma emboscada.Dois meses após a morte de Tillman, dois outros soldados foram assassinados por soldados da defesa civil iraquiana que estavam sendo treinados por eles.Segundo o relatório inicial do Exército, os dois homens teriam sido mortos em uma emboscada feita por inimigos. O Exército não está reabrindo as investigações das mortes de todos os soldados mortos, mas irá revê-las para garantir que os familiares receberam as informações mais precisas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.