Exército apura suposto assassinato a sangue-frio de iraquiano

O Exército dos Estados Unidos anunciou nesta terça-feira a realização de investigações para apurar o suposto assassinato a sangue-frio, sábado, de um prisioneiro iraquiano, que estava ferido e aparentemente desarmado, por um fuzileiro naval americano numa mesquita da cidade de Faluja, conforme se deduz de imagens transmitidas pela televisão. O vídeo, gravado pelo correspondente da NBC, Kevin Sites, mostra dois iraquianos feridos, encostados em uma parede da mesquita, mas não o momento do disparo que teria sido feito pelo fuzileiro naval em um deles.O militar acusado já foi afastado. "Seguimos as leis para os conflitos armado e agiremos com alto nível de responsabilidade", afirmou o comandante da 1ª Força Expedicionária da Marinha dos Estados Unidos, John Sattler. "Os fatos serão cuidadosamente apurados, para que seja tomada a decisão adequado de forma a proteger os direitos das pessoas implicadas", enfatizou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.