Exército colombiano é acusado por nova execução extrajudicial

No que aparenta ser um novo caso de execução extrajudicial na Colômbia, um líder camponês foi apresentado nesta quarta-feira pelo Exército como uma "baixa em combate" e acusado de ter sido um chefe guerrilheiro em vida, denunciaram autoridades regionais.O prefeito e o presidente da Câmara de Vereadores de Chaparral, no departamento de Tolima, 160 quilômetros ao sul de Bogotá, disseram que Tibério García era conhecido como um camponês e guarda florestal da comunidade. Segundo funcionários da câmara, García desapareceu em 28 de maio e não foi visto até que seu nome figurou como um dos cinco supostos guerrilheiros mortos em combate com o Exército, segundo um informe militar divulgado na terça-feira."O conhecíamos como presidente de um grupo comunitário. Recentemente, participou de uma reunião de segurança com o governador durante a qual levantou algumas questões sobre a morte de alguns jovens pelo Exército", disse à Associated Press Heliófilo Mosquera, prefeito de Chaparral.O presidente da Câmara da cidade, Arley García, afirmou que várias pessoas foram assassinadas nos últimos tempos porque, segundo o Exército, eram guerrilheiros, "mas para nós não passavam de camponeses".As Nações Unidas e organizações humanitárias denunciaram que as execuções extrajudiciais vêm aumentando na Colômbia nos últimos meses.Apenas no departamento de Antioquia estão sendo investigados 29 casos de possíveis execuções por parte da força pública, segundo o secretário de governo local, Jorge Mejía.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.