Exército da Síria mata 175 rebeldes em emboscada

As tropas do Exército da Síria mataram 175 rebeldes na quarta-feira, informou a mídia estatal, em uma emboscada descrita como uma das mais mortais contra os rebeldes. A maioria das vítimas estaria relacionada a membros da Al-Qaeda, afirmaram os jornais.

AE, Agência Estado

27 Fevereiro 2014 | 00h25

A agência de notícias síria SANA postou várias votos em seu site, mostrando dezenas de corpos em um campo aberto. A maioria vestia trajes civis e aparentava carregar sacos de roupas e garrafas de água, o que sugere que estavam trocando de localização quando foram emboscados.

O grupo britânico Observatório Sírio de Direitos Humanos informou que ao menos 152 rebeldes foram mortos, sendo que a maioria era ligada ao grupo Nusra Front, que possui conexões com a Al-Qaeda. "Essa é a maior perda para o Nusra Front e para as brigadas islâmicas desde o início da revolução", disse Rami Abdurrahman, diretor do grupo de direitos humanos.

O Observatório disse que soldados do Hezbollah apoiaram as tropas sírias na emboscada. A acusação é sustentada pelas imagens da rede de televisão do Hezbollah Al-Manar TV, que mostrou vídeos exclusivos do que disse ter sido a emboscada, com passagens de duas grandes bombas que foram detonadas no local.

O conflito na Síria começou com protestos pacíficos contra o governo de Bashar Assad, em março de 2011, mas as manifestações se desenvolveram para uma guerra civil que ganhou uma conotação sectária, na qual rebeldes muçulmanos sunitas combatem contra o governo de Assad, de maioria Alauita. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Síriaataque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.