Exército de Israel cortará relações com ANP governada pelo Hamas

O Exército israelense cortará todas as relações com a Autoridade Nacional Palestina (ANP), quando o Governo do movimento islâmico Hamas assumir o poder, informa neste domingo a edição eletrônica do jornal Ha´aretz. O novo Governo palestino deve assumir suas funções na quarta-feira, segundo confirmou no sábado, em Gaza, o primeiro-ministro designado Ismail Haniyeh. Segundo o diário israelense, os oficiais de coordenação e relacionamento do Exército com a ANP receberam a ordem de cortar seus vínculos quando houver a transição, passando a lidar com organizações internacionais e a população palestina. "Os escritórios de relacionamento continuarão funcionando, mas trabalharemos mais diretamente com a população palestina e menos com o governo. Tentaremos trabalhar com organizações internacionais e hospitais locais", disse o porta-voz militar para Assuntos Palestinos, Shlomo Dror. Os Escritórios de Distrito para Coordenação e Relacionamento - comumente conhecidos como DCO, por suas iniciais em inglês - foram criados em 1995 às portas de cada distrito palestino, e funcionavam geralmente por meio do Ministério Palestino de Trabalho da ANP, encarregado de tramitar as permissões para os operários palestinos que trabalham em Israel. O governo israelense se nega a colaborar com o Hamas, por isso também reduzirá suas relações com a Faixa de Gaza ao mínimo. O primeiro-ministro palestino designado, Haniyeh, apresentará seu Governo ao Parlamento da ANP na segunda-feira e não se esperam surpresas, pois o Hamas tem a maioria absoluta com 7 dos 120 parlamentares. Haniyeh deve tomar posse na quarta-feira, embora isso dependa do presidente Mahmoud Abbas, que precisa retornar da cúpula da Liga Árabe.

Agencia Estado,

26 Março 2006 | 10h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.