Exército de Israel diz que confundiu veículo de imprensa atacado

O Exército israelense reconheceu neste sábado queatacou um carro no qual viajavam dois cinegrafistas, um da Reuterse outro da emissora de TV de Dubai, mas assegura que o fatoaconteceu porque o veículo não foi identificado como de imprensa, oque gerou uma confusão nas forças do Estado judeu. "O carro passou ao lado das tropas (israelenses) que estavamoperando em uma zona que essencialmente é utilizada por milicianos(palestinos) e isso pareceu suspeito" para os militares, que entãodispararam contra o veículo, declarou à Efe uma porta-voz doExército. "Não atacamos carros que levam o distintivo de imprensa, mas (osmilitares israelenses) não o identificaram como tal, não o viram, epareceu que era um perigo imediato", assegurou a porta-voz, que nãodescartou que o jipe pudesse conter sinais de que pertencia àImprensa. Nas últimas horas o Exército realizou operações na regiãofronteiriça de Karni, "fazendo o que fez nos últimos meses: procurartúneis e explosivos" da milícia, concluiu a porta-voz. Fontes de segurança palestinas e testemunhas informaram quevários tanques israelenses e veículos blindados entraram na noite deste sábadono bairro de Shajaiyeh, ao leste da Cidade de Gaza, apoiados porhelicópteros e aviões não pilotados de reconhecimento. Segundo as testemunhas, um helicóptero israelense disparou doismísseis que atingiram dois veículos, um deles o jipe da Reuters,no qual viajava Faddel Shana´a, que trabalha para a agência, e SabahHemeida, colaborador da emissora de TV de Dubai. Os dois cinegrafistas e outros dois palestinos tiveram ferimentosleves, informaram fontes do hospital de Shifa, na Cidade de Gaza.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.