Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Ariel Schalit / AP
Ariel Schalit / AP

Exército de Israel diz ter abatido avião não tripulado vindo do Líbano

Drone foi considerado aparelho hostil, segundo o Exército; Hezbollah nega envio de aeronave

O Estado de S. Paulo,

25 de abril de 2013 | 11h49

(Atualizada às 15h) JERUSALÉM - Um caça israelense abateu nesta quinta-feira, 25, um avião não tripulado que teria partido do Líbano e se encontrava na costa noroeste de Israel, na altura da cidade de Haifa, informou o Exército do país. O grupo xiita libanês Hezbollah negou que tenha enviado algum drone para o território de Israel.

O abate do drone ocorreu uma hora depois de a aeronave ter sido identificada "se movimentando do norte ao sul pela costa libanesa". Após a identificação, a Força Aérea israelense enviou helicópteros e aviões de combate à região, sendo que um deles, um caça F-16, lançou um míssil contra o drone no momento em que o mesmo entrava no espaço aéreo israelense, segundo o porta-voz Peter Lerner.

O drone foi derrubado a cerca de 6 mil pés de altura (mais de 1,5 mil metros) e a umas cinco milhas náuticas do litoral de Haifa. "Não sabemos exatamente para onde e nem de onde vinha o avião, mas as comprovações determinaram que se tratava de um aparelho hostil", acrescentou Lerner, que assegurou que poderá confirmar esses dados com a análise dos destroços do drone.

Minutos depois de ter confirmado e anunciado o incidente, o primeiro-ministro israelense, Binyamin Netanyahu, emitiu um breve comunicado no qual assinalou que vê "com grande gravidade" a tentativa de entrada do aparelho não tripulado no espaço aéreo do país.

Essa é a segunda vez nos últimos sete meses que o Exército israelense intercepta um drone que supostamente teria partido do Líbano. No episódio anterior, ocorrido em outubro de 2012, o líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah, reivindicou a ação. / EFE e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.