Hassan Bahsoun/EFE
Hassan Bahsoun/EFE

Exército de Israel informa população sobre 'incidente de segurança' na fronteira com Líbano

Exército também pediu aos habitantes de cinco cidades na fronteira que abandonem 'qualquer atividade externa' e 'preparem-se para encontrar abrigo imediatamente, se necessário'

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de agosto de 2020 | 20h47

JERUSALÉM - O Exército de Israel relatou nesta quarta-feira, 25, um "incidente de segurança" no norte do país, na fronteira com o Líbano, e pediu à população local que se prepare para "encontrar um refúgio". 

"Um incidente de segurança está ocorrendo no setor de Manara, perto da linha azul", a fronteira de fato entre Israel e o Líbano, informou o Exército israelense em uma breve mensagem enviada à mídia, especificando que "algumas estradas foram bloqueadas. 

O Exército também pediu aos habitantes de cinco cidades israelenses na fronteira com o Líbano que "abandonem qualquer atividade externa" e "voltem para casa" e "preparem-se para encontrar abrigo imediatamente, se necessário". 

Os militares não forneceram mais detalhes sobre a natureza deste incidente, que ocorreu depois que o Hezbollah anunciou no fim de semana a derrubada de um drone israelense que cruzou a fronteira com o Líbano. 

Israel, tecnicamente em estado de guerra com o Líbano, declarou no fim de julho que havia abortado uma tentativa de combatentes do Hezbollah de cruzar a fronteira. 

O movimento xiita, no entanto, negou qualquer envolvimento no incidente, que se seguiu a um alegado ataque com mísseis israelenses a posições do Exército sírio e seus aliados ao sul de Damasco. 

Em setembro de 2019, o Hezbollah prometeu abater todos os drones israelenses que sobrevoassem o Líbano, depois que dois desses dispositivos carregados de explosivos tiveram como alvo um reduto do Hezbollah ao sul de Beirute. 

Essas tensões sobre os drones foram consideradas uma das causas das trocas de tiros na fronteira entre os dois países.

Grupo mais fortalecido

Israel considera o Hezbollah sua ameaça mais dura e imediata. Depois de levar Israel a um impasse durante uma guerra de um mês em 2006, acredita-se que o Hezbollah esteja muito mais forte hoje. Oficiais israelenses estimam que o grupo possua cerca de 130 mil foguetes e mísseis capazes de atingir virtualmente qualquer lugar em Israel.

O grupo também ganhou experiência valiosa no campo de batalha lutando ao lado de tropas iranianas que apoiavam as forças do presidente Bashar Assad na guerra civil síria.

Israel, que considera o Irã seu maior inimigo, reconheceu que realizou inúmeros ataques aéreos na Síria, que diz ter o objetivo de impedir o Irã de transferir armas sofisticadas para o Hezbollah./AFP e AP 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.