Exército do Chile expulsa neto de Pinochet

O Exército do Chile decidiu nesta quarta-feira dar baixa da instituição ao capitão Augusto Pinochet Molina, que, sem autorização, pronunciou um discurso político durante o funeral de seu avô, o ex-ditador Augusto Pinochet, informaram fontes militares.O comandante-em-chefe do Exército, general Oscar Izurieta, pediu à presidente do Chile, Michelle Bachelet, a tramitação da baixa e esta aaprovou imediatamente. O trâmite é necessário porque a patente de oficial é determinada por um decreto supremo e uma eventual baixa deve ser referendada também por um decreto. Bachelet e o chefe do Exército estarão na noite desta quarta-feira na cerimônia de graduação dos novos oficiais da instituição, que acontecerá na Escola Militar. No mesmo local, o capitão Pinochet Molina justificou na terça-feira, com um discurso, o golpe militar liderado por seu avô em 11 de setembro de 1973 para derrubar o governo de Salvador Allende.A intervenção foi feita sem a autorização de seus superiores, durante a missa fúnebre do ex-ditador, que morreu no domingo. O oficial, de 33 anos e filho de Augusto Pinochet Hiriart, o filho mais velho do ex-ditador, afirmou que seu avô foi um líder mundial que derrotou, "em plena Guerra Fria, pelo meio armado, o governo marxista, que pretendia impor seu modelo totalitário".Pinochet Molina também criticou os juízes que nos últimos anos julgaram o ex-ditador, acusado de violação dos direitos humanos e de corrupção.A decisão do Exército de expulsar o oficial foi conhecida horas depois de Bachelet ter classificado o discurso como uma "falta gravíssima", em coincidência com o que a instituição militar havia assinalado anteriormente em comunicado oficial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.