Exército do Egito emite ultimato de 48 horas

As Forças Armadas do Egito emitiram um ultimato de 48 horas ao presidente Mohammed Morsi e seus opositores, para que cheguem a um acordo nesse período, caso contrário os militares vão intervir para levar adiante um projeto político para o país e assegurar que ele seja implementado.

Agência Estado

01 de julho de 2013 | 12h25

Em comunicado lido na televisão estatal, nesta segunda-feira, o Exército descreveu como "gloriosas" as manifestações públicas do domingo, que levaram milhões de egípcios para as ruas, pedindo a saída de Morsi.

Os militares reiteraram que "os pedidos do povo devem ser atendidos e concedemos 48 horas (a todos os envolvidos), como uma última chance, para assumirem a responsabilidade pelas circunstâncias históricas atravessadas pelo país".

"Se as demandas do povo não foram atendidas neste período...(as Forças Armadas) vão anunciar o projeto futuro e medidas para orientar sua implementação", diz o documento.

Os militares afirmaram que "não participarão da política ou do governo", mas disseram que têm responsabilidade de agir, porque a segurança nacional do Egito enfrenta "um grave perigo". Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press.

(END) Dow Jones Newswires

July 01, 2013 11:00 ET (15:00 GMT)

Tudo o que sabemos sobre:
Egitoprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.