Exército do Iêmen aumenta controle sobre cidade do sul

Tropas iemenitas mataram quatro militantes islâmicos neste domingo na consolidação do controle do Exército sobre Zinjibar, um dia depois de recuperar o controle da cidade no sul do país do grupo que se chama de Ansar Al-Sharia, disse um porta-voz dos militares.

REUTERS

11 Setembro 2011 | 16h32

Separadamente, uma autoridade do partido da situação disse que o presidente Ali Abdullah Saleh deve aumentar o poder do seu vice para negociar o plano de transferência de poder patrocinado pelo Golfo, mas que ele não deve abrir mão dos seus poderes no Estado imediatamente.

Residentes disseram que um ataque aéreo iemenita matou pelo menos três combatentes próximos a Jaar, cidade controlada pelos militantes, aparentemente enquanto eles estavam em fuga de Zinjibar.

Ansar Al-Sharia, que o governo diz ter relações com a iemenita Al Qaeda da Península Árabe (AQAP), assumiu o controle de Zinjibar, capital da província de Abyan, em maio, separando uma brigada do Exército de um quartel nas proximidades.

O Exército disse no sábado que reassumiu a cidade costeira e restabeleceu contato com a 25a brigada depois de uma ofensiva de dois meses com apoio de ataques aéreos e armamento pesado.

Os militantes islâmicos tomaram partes do território em Abyan, aproveitando-se da turbulência no país que convulsiona por meses em protestos contra o regime de 33 anos de Saleh.

Adversários de Saleh, que se recupera na Arábia Saudita de um ataque à bomba que atingiu o seu palácio em Sanaa em junho, o acusaram de exagerar a ameaça da Al Qaeda ou de manipular os militantes como uma tentativa de assustar Washington e Riad e garantir apoio.

Na capital Sanaa, um general de brigada foi assassinado, de acordo com reportagens da imprensa estatal, enquanto na principal cidade sulista de Aden, um coronel do Exército que comandava uma brigada armada contra militantes em Abyan sobreviveu a uma tentativa de assassinato, de acordo com uma autoridade de segurança.

Ele disse que uma explosão destruiu um carro e os portões da casa do coronel, no último de uma série de ataques contra militares ou autoridades de segurança na província de Aden nos últimos meses.

Não houve reivindicação imediata dos dois ataques.

Mais conteúdo sobre:
IEMENZINJIBAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.