Exército do Paquistão diz ter matado mais 27 militantes

O Exército paquistanês confirmou ter matado mais 27 militantes em regiões controladas pelo Taleban no noroeste do país. Mais cedo hoje, militares haviam informado a morte de 35 militantes no Vale do Swat. As outras 27 mortes teriam ocorrido na cidade vizinha de Buner, informaram os militares. Um comunicado do Exército sustenta que as tropas responderam a ataques de militantes localizados no entorno de várias minas de esmeralda. O texto informa que dois soldados morreram pela explosão de uma bomba no norte do vale. Outros dois soldados morreram em um ataque a uma estação elétrica perto da principal cidade do Vale do Swat, Mingora, segundo os militares.

AE-AP, Agencia Estado

06 de maio de 2009 | 10h37

A resposta militar no Swat deve agradar Washington, que pede ao Paquistão uma ação firme contra os militantes, culpados pelo aumento da violência no país e em solo afegão, segundo os Estados Unidos. O presidente do Paquistão, Asif Ali Zardari, e seu colega norte-americano, Barack Obama, devem se encontrar ainda hoje em Washington. Desde o início dos combates, ontem, milhares de homens, mulheres e crianças fugiram de Mingora e de distritos vizinhos, temendo uma escalada na violência. O governo afirma que os refugiados podem chegar a 500 mil em poucos dias.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãoviolênciamortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.