Exército do Paquistão mata líder tribal do Baluchistão

O Exército paquistanês matou Nawab Akbar Bugti, principal líder tribal do Baluchistão, no oeste do país, acusado de instigar uma revolta separatista que causou dezenas de mortos entre as forças governamentais, disseram neste domingo fontes oficiais. Na operação, realizada na região de Dera Bugti, morreram também pelo menos 37 partidários de Akbar Bugti, entre eles diversos membros de sua família, além de 22 soldados, segundo o ministro deInformação paquistanês, Mohamad Ali Durrani. Após a divulgação da notícia, ocorreram ataques indiscriminados contra bancos, postos de gasolina e propriedades públicas, o que levou o governo a decretar toque de recolher em Quetta, capital da província do Baluchistão. O octogenário Nawar Akbar Bugti, ex-governador do Baluchistão e presidente do Jamhoori Watan Party (JWP), era considerado a liderança que guiava a rebelião separatista dessa província, que tem grandes reservas de gás natural. As cavernas onde Bugti se escondia foram descobertas há três dias pelas forças paquistanesas graças à interceptação de conversastelefônicas via satélite, afirmam fontes da inteligência do Paquistão. Em comunicado, o Exército paquistanês confirmou a morte do líder tribal "e de um elevado número de seus principais assessores". Assegurou também que, na batalha, os rebeldes responderam ao fogo de helicópteros militares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.