Exército do Paquistão mata pelo menos 33 fundamentalistas

Dois membros das forças de segurança foram mortos por causa da explosão de uma bomba

Efe,

15 de novembro de 2007 | 04h15

Pelo menos 33 fundamentalistas islâmicos morreram nesta quinta-feira, 15, em diferentes ataques aéreos no vale de Swat, no norte do Paquistão. Dois membros das forças de segurança foram mortos por causa da explosão de uma bomba, informou uma fonte militar. O porta-voz militar Waheed Arshad, que na quarta-feira tinha anunciado a morte de 16 radicais em uma ofensiva aérea em Swat, disse que outros 17 combatentes morreram posteriormente em outro ataque contra um veículo dos milicianos, no distrito de Shangla. Arshad, em declarações ao canal Dawn News, explicou que a ofensiva utilizou vários helicópteros militares. O veículo supostamente transportava armas e munição para os radicais islâmicos. As autoridades afegãs informaram que entre as vítimas dos ataques houve pelo menos quatro civis e outros seis ficaram feridos. Mas o porta-voz militar insistiu que a operação não causou vítimas civis. Também na Província da Fronteira do Noroeste, onde se encontra o vale de Swat, dois membros das forças de segurança morreram e oito ficaram feridos quando uma bomba atingiu o seu veículo, em Aman Dara, na área de Malakand.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãoexplosão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.