Governo do Sri Lanka/ Reuters
Governo do Sri Lanka/ Reuters

Exército do Sri Lanka recupera 352 corpos em operação

Resgate ocorreu depois da última tentativa dos Tigres Tâmeis de romper o cerco militar

Efe

19 de maio de 2009 | 04h25

O Exército cingalês recuperou no nordeste do Sri Lanka os corpos de 352 guerrilheiros tâmeis. A operação aconteceu na segunda-feira, 18, à tarde (horário local), depois da última tentativa dos Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE) de romper o cerco militar, que segundo as tropas desembocou na aniquilação de seus últimos combatentes.

 

Na quinta-feira, 14, diferentes fontes oficiais confirmaram à Agência Efe que todos os líderes da guerrilha morreram nos últimos combates, travados no povoado de Vellamullivaikkal.

 

O Exército publicou na segunda-feira à noite uma lista com 18 nomes de líderes guerrilheiros onde se destacava a ausência do líder supremo dos LTTE, Vellupillai Prabhakaran, embora as tropas tenham reiterado sua "forte crença" de que o dirigente tâmil morreu na segunda-feira em combate.

 

A versão do Exército foi desmentida pelo responsável de relações internacionais dos LTTE, S.Pathmanathan, que assegurou em entrevista publicada nesta terça-feira, 19, pelo portal Tamilnet que Prabhakaran "está vivo e se encontra bem".

 

Além disso, acusou as tropas de ter cometido um "crime contra a humanidade" pelos "assassinatos" do líder político B. Nadesan e do chefe da secretaria de paz da guerrilha, S. Puleedevan, que tentavam desarmados negociar com as tropas.

 

"O que ocorreu na segunda-feira foi um massacre bem planejado de vários oficiais civis desarmados dos LTTE com o propósito de aniquilar sua estrutura política", destacou o portal. O presidente do Sri Lanka, Mahinda Rajapaksa, deve na manhã de desta terça-feira (horário local) se dirigir pela primeira vez à nação depois de o Exército dar ontem por encerrada a guerra, que durou 26 anos.

Tudo o que sabemos sobre:
Sri LankaExércitoTigres Tâmeis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.