Exército dos EUA capturou suspeitos de seqüestro de jornalista

O Exército americano no Iraque anunciou hojeque seus soldados capturaram quatro iraquianos suspeitos de ter participado da captura da jornalista Jill Carroll, que passou 82 dias seqüestrada por um grupo terrorista. O general-de-Brigada William Caldwell, porta-voz das tropas da coalizão no Iraque, disse em entrevista coletiva que as detenções aconteceram na província de Al-Anbar, no oeste do país. Caldwell também disse que a jornalista ficou detida em um lugar situado treze quilômetros ao leste de Faluja, 55 quilômetros ao oeste de Bagdá. O porta-voz militar disse que as detenções foram feitas por marines que realizavam uma operação em uma casa em Al-Anbar. As informações obtidas na casa levaram à detenção de uma pessoa, e depois de um interrogatório foram detidos outros três supostosEnvolvidos. Em 30 de março, a jornalista americana Jill Carroll, de 28 anos, foi libertada após 82 dias de cativeiro. Carroll foi seqüestrada em 7 de janeiro, quando entrevistaria o conhecido líder sunita Adnanal-Dulaimi, e seu tradutor foi assassinado no momento do seqüestro. Os seqüestradores, identificados como membros das "Brigadas da Vingança", tinham exigido a libertação de oito mulheres presas no Iraque, e as autoridades iraquianas colocaram em liberdade algumas delas, mas negaram que essa medida tivesse relação com suas exigências.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.