Exército dos EUA começa destruir armas químicas obsoletas

O Exército dos Estados Unidosacendeu neste sábado seu primeiro incinerador projetadoespecialmente para destruir armas químicas obsoletas datadas daera da Guerra Fria. A primeira arma destruída no incinerador de Anniston, Alabama,foi um antigo foguete com uma carga de gás sarin suficiente paradizimar uma cidade de médio porte. O foguete foi descarregado num compartimento especial,desmontado em oito pedaços e depois queimado em um forno própriopara esse serviço. O Exército americano passou anos se preparando para o processode destruição, mas diversos processos foram abertos na Justiçados EUA pelo temor de que a destruição cause problemas àpopulação. Ontem, um júri deu a palavra final e permitiu que oprograma seja levado a cabo. O Exército dos Estados Unidos tem planos de destruir dezfoguetes durante este fim de semana. Depois, os militarespretendem elevar gradualmente a incineração das armas,aumentando a um ritmo de 40 foguetes destruídos por hora nopróximo ano.O jornal americano The New York Times publicoureportagem, segundo a qual especialistas da Agência deInteligência da Defesa (DIA) concluíram que os dois trailerssuspeitos encontrados no Iraque produziam hidrogênio para balõesmeteorológicos e não armas biológicas, como acusou inicialmenteo governo dos EUA. De acordo com o jornal americano, a investigação feita pordiversos engenheiros e que ainda não foi convertida em relatóriodifere do documento apresentado em 28 de maio pela CIA e pelaprópria DIA, que afirmava que os trailers eram instalaçõessecretas para a fabricação de armas biológicas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.