Exército dos EUA desculpa-se por ofender Islã no Afeganistão

Militares distribuem bolas de futebol com referência impressa de Alá para crianças para melhorar imagem no país

Associated Press e Agência Estado,

27 de agosto de 2007 | 12h10

O Exército dos Estados Unidos pediu desculpas nesta segunda-feira, 27, por qualquer ofensa feita que tenha sido feita aos muçulmanos em uma manobra de relações públicas com o objetivo de melhorar sua imagem junto aos afegãos, disse um porta-voz militar nesta segunda-feira. O pedido de desculpas precisou ser feito depois de pelo menos uma bola de futebol com referência impressa a Alá ter sido jogada para crianças na província de Khost, no leste do Afeganistão. O episódio ocorreu na última sexta-feira. Pelo menos uma das bolas jogada para as crianças tinha uma reprodução da bandeira da Arábia Saudita, na qual está impressa uma declaração de fé que contém as inscrições "Alá" e "Profeta Maomé". Os moradores ficaram "tristes e enfurecidos" quando viram a bola, disse Arsalah Jamal, governador de Khost. "Eles queriam protestar, mas explicamos que seria um erro", comentou. Os muçulmanos tratam com muito respeito qualquer versão impressa de versão do Corão ou dos nomes de Alá e do profeta Maomé. Muitos consideram extremamente ofensiva a idéia de se chutar uma bola com os nomes deles. O sargento Dean Welch, um porta-voz militar americano, comentou que "a distribuição de bolas de futebol foi feita em espírito de boa vontade, com o objetivo de levar divertimento às crianças" afegãs. "Lamentamos qualquer distúrbio que tenha sido provocado com isso. Se chateamos uma pessoa apenas, isso já foi muito", prosseguiu.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoofensaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.