Exército e Taleban se enfrentam onde reféns coreanos estariam

Tiroteio aconteceu em Ghazni, local do suposto cativeiro onde dois dos capturados já foram assassinados

BBC Brasil, BBC

01 de agosto de 2007 | 13h54

Integrantes do Taleban e o Exército afegão trocaram tiros na província de Ghazni, sudoeste de Cabul, nesta quarta-feira, 1, onde acredita-se que os sul-coreanos estão sendo mantidos reféns pela facção antigovernamental, afirmaram autoridades do Afeganistão à BBC. Mais cedo, panfletos jogados de helicópteros militares avisavam aos moradores da região para abandonarem suas casas.  O Taleban já matou dois dos 23 reféns e ameaça matar mais pessoas se suas exigências não forem cumpridas.  Segundo o correspondente da BBC no Afeganistão, as autoridades negam que a operação em Ghazni seja uma tentativa de libertar os reféns sul-coreanos.  O Ministério da Defesa do país afirmou que a operação deflagrada pelo Exército nacional em Ghazni é de "rotina" e não tem relação com os seqüestros.  Os agentes humanitários coreanos - 18 dos quais são mulheres - foram seqüestrados no dia 19 de julho enquanto viajavam de ônibus de Cabul para Candahar, no sul do país.  O líder dos reféns, o pastor Bae Hyung-kyu, foi o primeiro a ser assassinado pelos rebeldes. Sua morte foi noticiada no final de semana.  Na terça-feira, o governo da Coréia do Sul confirmou que um segundo refém foi morto: Shim Sung-min, de 29 anos, que era ex-empregado de uma empresa de tecnologia.  O Taleban tem repetido que qualquer violência por parte das autoridades afegãs pode pôr em risco a vida dos reféns.

Tudo o que sabemos sobre:
TalebanCoréia do SulAfeganistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.