Efe
Efe

Exército egípcio diz que Mubarak ficará em prisão domiciliar se deixar cadeia

Ex-ditador é julgado por corrupção e assassinato de manifestantes contrários ao seu governo

O Estado de S. Paulo,

21 Agosto 2013 | 17h34

CAIRO - O exército egípcio ordenou nesta quarta-feira, 21, que o ex-ditador Hosni Mubarak fique em prisão domiciliar caso saia da prisão para esperar o veredicto do julgamento por assassinatos - por mandar matar manifestantes contrários ao seu governo - e corrupção. A informação foi anunciada pelo governo.

Segundo o primeiro-ministro interino Hazem el-Beblawi, a decisão é parte das medidas de emergência impostas na semana passada pelo governo militar conduzido ao poder depois do golpe que depôs o presidente Mohamed Morsi. "No contexto da lei de estado de emergência, o vice-comandante militar emitiu uma ordem para que Mubarak seja colocado sob prisão domiciliar", afirmou, em comunicado.

Mais cedo, um tribunal egípcio anulou o último processo que mantinha Mubarak preso desde 2011. Com a decisão, Mubarak deve ser solto da prisão de Tora em 48 horas, desde que a promotoria não impetre nenhum recurso contra a decisão. O ex-ditador, de 85 anos, foi deposto em 2011 por uma revolta popular.

O julgamento do ex-ditador continua e uma nova audiência está prevista para este domingo. Mubarak foi condenado à prisão perpétua no ano passado por não ter evitado a morte de manifestantes, mas uma corte aceitou um recurso neste ano e determinou um novo julgamento./ REUTERS e AP

Mais conteúdo sobre:
EgitoHosni Mubarak

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.