Exército indiano mata 12 supostos militantes islâmicos

O Exército indiano matou neste sábado 12 supostos militantes islâmicos na conturbada região da Caxemira, marcada por disputas com o vizinho nuclear Paquistão.Os confrontos continuam na área das montanhas de Saujian, a 210 quilômetros da capital de inverno da Caxemira indiana, Jammu, próxima à Linha de Controle, fronteira criada em 1972 para dividir a Caxemira entre Índia e Paquistão.Os soldados indianos atacaram os militantes quando eles tentavam cruzar para o território controlado pelo Paquistão. Enquanto isso, horas após a instalação do novo governo da Caxemira, supostos militantes islâmicos assassinaram um líder local do Partido do Congresso e seus dois seguranças, no coração de Srinagar, capital de verão da Caxemira indiana, informou uma fonte.Mohammad Sikander Jan foi morto na movimentada estação rodoviária de Batmaloo, em Srinagar, disse um policial sob condição de anonimato. Os criminosos fugiram. O ataque ocorreu pouco depois de o mufti Mohammed Sayeed, líder do Partido Democrata Popular, ter sido empossado ministro em chefe, o mais alto cargo estatal submetido à consulta popular.Três horas antes da posse, Sayeed escapou de um ataque promovido por supostos militantes islâmicos contra sua casa. Um de seus seguranças ficou ferido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.