Exército iraquiano enfrenta Estado Islâmico em Tikrit

Militantes do grupo sunita prometeram atacar EUA, que lançaram uma série de bombardeios contra o grupo, 'em qualquer lugar'

O Estado de S. Paulo

19 de agosto de 2014 | 10h28

TIKRIT, IRAQUE -  Forças iraquianas lançaram uma ofensiva nesta terça-feira, 19,  para expulsar combatentes do Estado Islâmico de Tikrit, cidade natal do ex-ditador Saddam Hussein. Os militantes do grupo radical sunita prometeram atacar os Estados Unidos, que lançaram uma série de bombardeios contra o grupo, “em qualquer lugar”. 

Em Genebra, a agência de refugiados da ONU, o Acnur, disse estar iniciando uma grande operação de ajuda para levar suprimentos para mais de meio milhão de pessoas deslocadas pelos combates no norte do Iraque. 

Estimulada por uma operação para recapturar uma represa estratégica detida por jihadistas, após dois meses de derrotas, unidades do Exército do Iraque, apoiadas por milícias xiitas, abriram caminho até o centro de Tikrit, uma cidade a 130 quilômetros ao norte de Bagdá e um bastião para a minoria sunita do Iraque. 

“Nossas forças estão avançando em duas direções com cobertura de helicópteros do Exército, disparos de morteiros e artilharia acertando posições de combatentes do Estado Islâmico dentro e fora da cidade”, disse à Reuters um major do Exército na sala de operações.

Combatentes sunitas liderados pelo Estado Islâmico tomaram grandes faixas de território no norte e no oeste do Iraque em junho, capturando as cidades sunitas de Tikrit e Mosul, assim como a represa de Mosul, uma frágil estrutura que controla o abastecimento de água e energia elétrica para milhões de pessoas no vale do rio Tigre. 

No entanto, na segunda-feira, combatentes da região autônoma do Curdistão iraquiano disseram ter reconquistado o controle da hidrelétrica com a ajuda de ataques aéreos dos EUA. 

O Estado Islâmico tem se concentrado em tomar territórios para seu autoproclamado califado em partes do Iraque e da Síria, diferentemente da Al Qaeda, grupo do qual se separou, que fez diversos ataques contra alvos dos EUA, incluindo os atentados de 11 de setembro. 

No entanto, em um vídeo publicado na Internet, os militantes do Estado Islâmico alertaram americanos, em inglês, que “ainda afogaremos todos vocês em sangue” caso ataques aéreos dos EUA atinjam seus combatentes. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.